FANDOM


Uma pergunta frequente nas mentes das pessoas que vêem muitas igrejas por aí é: "quem dá autorização para que estas pessoas preguem ou liderem igrejas?". A resposta pode ser tão apavorante para alguns como pode ser esclarecedora para outros, levando-os à busca da verdade. E é esta resposta que planejo expor aqui.


Poder ou não poder, eis a questão

Se começarmos a ler as escrituras, vemos uma coisa bem interessante: apenas alguns homens são escolhidos para levar avante o trabalho do Senhor. Estes homens são chamados por Deus para tal e, devido a este chamado, recebem autorização para realizar as coisas em nome de Deus. Esta autoridade é chamada de Sacerdócio, e consiste no poder dado por Deus para o homem, garantindo-lhe autorização para agir em nome Dele aqui na Terra.

O Sacerdócio não é um presente, nem pode ser encontrado em uma leitura de escrituras ou em conhecimento próprio. O Sacerdócio é dado por Deus ao homem. Apesar do fato de que nem todos os que têm este poder o receberam diretamente das mãos de Deus (isso porque a maioria recebeu o Sacerdócio da mão de outro portador), podemos dizer com segurança que todos, invariavelmente, receberam este sacerdócio de Deus, direta ou indiretamente.

O Sacerdócio garante ao portador poder para evocar os poderes dos céus em favor do próximo, como também autoridade para que tudo o que fizer seja em nome do Pai e, assim, válido. No entanto, ele é baseado na e na dignidade de seu portador, pela obediência aos mandamentos. Sendo assim, o portador do sacerdócio não é um super-homem, a não ser que tenha fé e seja digno para tal.

O Sacerdócio é dividido em dois: Sacerdócio Aarônico (Menor) e Sacerdócio de Melquisedeque (Maior). Cada um deles têm diferentes responsabilidades e deveres, e referem-se às áreas temporais e espirituais, respectivamente.

O Sacerdócio Menor

O Sacerdócio Aarônico recebeu este nome devido ao seu primeiro portador, Aarão, que recebeu-o quando Israel rejeitou a Lei do Evangelho de Jesus Cristo, fazendo com que o Senhor entregasse a eles uma lei menor (ver Lei Mosaica). Este sacerdócio era privilégio dos Levitas somente (veja As Tribos de Israel), os quais serviam no Templo até a morte de Jesus Cristo. Desde então, somente eles portaram o sacerdócio, fazendo com que eles se misturassem entre as outras tribos. Então, quando se fala em Sacerdócio Levítico, faz-se referência a uma parte do Sacerdócio

O Sacerdócio Menor compreende as tarefas temporais do Reino do Senhor. Este sacerdócio cuida do sacramento principalmente e, na Lei Mosaica, de todo o ofício no Templo. Hoje, ele cuida do sacramento, do zelo das capelas e manutenção primária da boa convivência entre os membros. Os ofícios deste sacerdócio são: Diácono, Mestre, Sacerdote e Bispo. Vamos a eles:

-Diácono: O primeiro dos ofícios, é dado aos rapazes de 12 anos que são dignos. Os deveres dos diáconos, entre outros, incluem a distribuição do sacramento e a limpeza (ou a manutenção da limpeza) da capela.

-Mestre: O próximo ofício, dado aos rapazes de 14 anos, cuida de todos os deveres do diácono e da preparação do sacramento, principalmente. O Mestre também zela pela boa convivência das pessoas dentro da Igreja, evitando que os irmãos tenham intrigas entre si e resolvendo pequenos problemas, auxiliando assim os diáconos em sua manutenção da capela. Seu dever também se refere ao ensino familiar, podendo servir como Mestre Familiar.

-Sacerdote: O Sacerdote é avançado com 16 anos, e seu dever é abençoar o sacramento, juntamente com todos os deveres do Mestre e Diácono. O Sacerdote tem autoridade para batizar pessoas, mas não para conceder o Dom do Espírito Santo.

-Bispo: Este ofício é dado a homens adultos, casados, geralmente Sumo Sacerdotes (veja abaixo), no entanto, ele é um ofício do Sacerdócio Aarônico. O Bispo tem completa autoridade do Sacerdócio Aarônico, e preside todo o Sacerdócio Aarônico da Ala. Como ele é um portador do Sacerdócio de Melquisedeque, ele tem autoridade para executar todas as coisas pertinentes a seu ofício e ao seu Sacerdócio. Por isso, ele preside a Ala. O cargo de Bispo Presidente nada mais é do que o Bispo Geral da Igreja.

O Sacerdócio Aarônico tem, ainda, o direito ao ministério de anjos. Isso significa que eles têm o direito de, se necessário (e conveniente), receber o auxílio de anjos, inclusive serem ensinados por eles. Este privilégio, às vezes, é esquecido pela maioria dos portadores; se fosse lembrado, seriam dignos o suficiente para receber o ministério de anjos.

Sacerdócio Maior

O Sacerdócio de Melquisedeque é o sacerdócio que Deus porta. Se fosse só isso, uma frase bastaria, não?

O Sacerdócio de Melquisedeque, na verdade, chama-se Sacerdócio segundo a Ordem do Filho de Deus. No entanto, para evitar a repetição do nome de Deus, deu-se o nome de Melquisedeque, um rei muito justo que portava este sacerdócio. O Sacerdócio Maior tem autoridade para as coisas espirituais da Igreja, tal como bênçãos a aflitos e doentes, e oficiar nos atuais trabalhos do Templo. Com este sacerdócio, se for conveniente e necessário, uma pessoa pode ser privilegiada com uma visão do próprio Deus. Mas, como eu disse, somente se for conveniente para Deus e necessário. O Presidente da Igreja é o presidente do Sacerdócio de Melquisedeque.

O Sacerdócio Maior tem vários ofícios. Semelhantemente ao Aarônico, o sacerdócio de melquisedeque acumula deveres à medida que o portador é avançado em seus ofícios. A diferença reside na idade: não existe uma idade mínima para um ofício e um portador pode nunca receber determinado ofício.

-Elder: O primeiro ofício do Sacerdócio Maior. Um Elder tem autoridade para dar bênçãos em doentes e aflitos, dar bênçãos de consolo e conceder o dom do Espírito Santo (sob a supervisão do bispo). Este ofício não deve ser confundido com o título dado à missionários e autoridades gerais (embora a maioria dos missionários sejam realmente élderes, alguns deles podem ser sumo sacerdotes).Os elderes também servem como mestres familiares e nos muitos chamados da Igreja.

-Sumo Sacerdotes: Um Sumo Sacerdote tem a incumbência de amparar as viúvas da Igreja, dando-lhes apoio temporal quando necessário. Também, um Sumo Sacerdote pode ser chamado para alguns dos chamados mais críticos, como Bispo e Selador no Templo (para detalhes, veja Templos).

-Patriarca: Um Patriarca é quase como um pai. Seu chamado é dar bênçãos patriarcais. Estas bênçãos são recebidas por ele por meio de revelação e contém algumas das principais promessas que o Senhor fez a cada um antes de nascermos, além de nossa linhagem, ou seja, a tribo de Israel a qual pertencemos. O Patriarca é um ofício hereditário, ou seja, pode passar de pai para filho.

-Setenta: Um Setenta é um ofício encarregado de ser uma testemunha de Cristo, normalmente em nível regional. Existem, atualmente, nove quóruns de setentas (?) em atividade, e eles servem como "emissários" dos Doze Apóstolos. Estes setentas têm autoridade para pregar o evangelho em larga escala.

-Apóstolo: O ofício mais alto no Sacerdócio de Melquisedeque. A palavra apóstolo significa "o enviado", significando que um apóstolo é uma testemunha especial de Jesus Cristo, de sua ressurreição e de seu evangelho, enviado para testificar ao povo como ninguém mais pode. Existem quinze apóstolos na Igreja hoje: o Presidente, seus dois conselheiros e um quórum de doze apóstolos (para mais detalhes, veja A Organização da Igreja).

Autoridade ou Chave?

As duas coisas. Um portador do sacerdócio recebe autoridade para oficiar nas muitas coisas no Reino, mas nem todos tem as chaves para essas coisas. Vamos diferenciar as coisas:

-Autoridade é... bem... a autorização para realizar determinada coisa, como oficiar no sacramento, no templo...

-Chaves são os direitos que os líderes do sacerdócio têm para dirigir o serviço do sacerdócio. Por exemplo, um sacerdócio tem autoridade para abençoar o sacramento, mas somente o Bispo pode designar determinado sacerdote para oficiar no sacramento, pois ele retém as chaves para isto. Um presidente do quórum dos diáconos tem as chaves para designar os diáconos que distribuem o sacramento, e por aí vai.

Atualmente, o Presidente da Igreja, na qualidade de Presidente do Sacerdócio de Melquisedeque, retém todas as chaves do Sacerdócio, até onde elas foram reveladas. Então, ele delega estas chaves para os líderes da Igreja para que os serviços do sacerdócio sejam realizados em nível local. Assim, o Bispo tem as chaves para a ala, o Presidente da Estaca tem as chaves para a Estaca...

A Necessidade do Sacerdócio

O Sacerdócio é vital para nós. Sem ele, a Igreja não sobrevive. Aliás, o motivo pelo qual a apostasia aconteceu foi simplesmente falta de alguém com autoridade suficiente para presidir a Igreja. Sem o Sacerdócio, qualquer coisa feita pelo homem, mesmo que seja em nome de Deus e o homem seja sincero, não é aceita pelo Senhor. É por isso que Paulo disse que "Ninguém toma para si esta honra, senão o que é chamado por Deus, como Aarão" (Heb 10:4). Ninguém pode tomar o sacerdócio para si. Simão, recém-convertido na Igreja e grande mágico dos tempos dos Apóstolos originais, viu os Doze realizando grandes coisas e pediu que Pedro lhe vendesse o poder que permitia aos Doze realizar tantas maravilhas. A resposta de Pedro foi taxativa e mortal: "Teu dinheiro seja para ti perdição", mostrando claramente que o Sacerdócio não pode ser vendido. Ele deve ser recebido de pessoas que tenham autoridade para dá-lo.

Nos dias atuais, o Sacerdócio foi dado a Joseph Smith por João Batista (no caso do Sacerdócio Aarônico) e por Pedro, Tiago e João (Sacerdócio de Melquisedeque). Somente após receber estes dois sacedócios ele foi capaz de reorganizar a Igreja. Sem eles, ele até poderia fazer isso, mas não seria reconhecido por Deus. Além disso, sem o Sacerdócio, Joseph não se qualificaria como Profeta, porque não teria autoridade para receber revelação para todas as pessoas. Aliás, seria bom que as pessoas tivessem essas coisas em mente antes de criticar um líder do sacerdócio: uma vez que o profeta (ou bispo, ou presidente de qualquer coisa) porta a autoridade de Deus e foi chamado para liderar, criticá-lo entraria no que o Senhor indica (e condena) como dar conselhos a ele.